Mostrando postagens com marcador Sob o Comando do Sheik. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Sob o Comando do Sheik. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Sob o Comando do Sheik

ROMANCE CONTEMPORÂNEO


O irmão de Abbie Cavanaugh está na prisão, mas ela pode conseguir sua liberdade...
Desde que aceite ser esposa do sheik de Barakhara.

A explosiva paixão entre o príncipe Malik e Abbie é capaz de transformar um casamento de conveniência em pura sedução.

Entretanto, nenhum dos dois conhece a verdadeira identidade do outro.Poderá o casamento ser realizado quando esse segredo for revelado?
Abbie Cavanaugh faria qualquer coisa para salvar seu irmão, preso em um país distante por roubo de artefatos arqueológicos.
A vida de Andy está nas mãos de Malik Al'Qaim, o sheik de Barakhara, que concorda em fazer uma visita diplomática para negociar a libertação do jovem.
No entanto, Abbie jamais imaginaria que as condições do soberano fossem tão... pessoais.
Em troca da liberdade de Andy, Malik exige levá-la para seu país.
Mas uma explosiva paixão pode transformar esse arranjo de conveniência em algo muito mais sedutor...

Capítulo Um

Abbie viu os homens grandes e poderosos em motocicletas possantes, pretas e cromadas, brilhando na luz do sol.
Apesar do calor, seus corpos musculosos estavam cobertos de couro preto, e eles usavam capacetes.
Obviamente aqueles homens eram os guarda-costas de um sheik que governava um país distante.
Um país deserto onde o sol brilhava dia após dia, e cuja temperatura era bem mais alta do que o calor moderado de uma tarde de verão inglesa.
O sheik que estava no carro atrás deles.
O comboio de máquinas possantes fez o percurso num roncar ensurdecedor de motores, e parou do lado de fora da porta principal da casa, espreitando tudo e todos.
O trabalho deles era proteger o ocupante do veículo grande e ostensivo que os seguia: o sheik Malik bin Rashid Al'Qaim.
O carro também tinha uma pequena bandeira no capô. A bandeira de Barakhara.
Abbie deu um suspiro profundo.
Então ele estava aqui. Era realmente um acontecimento e não um sonho.
Era absolutamente real.
E tal realidade transformou-se no maior pesadelo que ela já vivera.
Seus olhos acinzentados encheram-se de lágrimas e ela piscou rapidamente para contê-las, passando as mãos trêmulas pelos cabelos louros enquanto lutava para se controlar.
Ele chegara com meia hora de antecedência.
Por isso, Abbie ainda estava arrumando a sala, a blusa branca e a saia justa sob aquele ridículo avental florido de algodão, emprestado pela governanta..
— Papai! — gritou ela, com a voz trêmula e ofegante. — Eles chegaram.