Mostrando postagens com marcador Série Momentos de Decisão. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Série Momentos de Decisão. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

O Poder e a Glória

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
Série Momentos de Decisão

Ele é rico, poderoso e mestre em misturar negócios, política e prazer!

Qualquer mulher com sangue correndo nas veias mataria para ficar presa ao carismático e sexy Brady Marshall.
Mas o objetivo da ativista Aspyn Breedlove é ganhar visibilidade e não acessibilidade àqueles deliciosos músculos de aço por baixo dos ternos caros que ele vestia.
Em um golpe inesperado, ela ingressa no comitê do qual Marshall faz parte. 

Aspyn tem esperança de trabalhar para o diabo sem vender a alma para ele. Mas quais seriam suas chances de sucesso?

Capítulo Um

— Vive La Rèvolution! De novo.

Brady Marshall parou de escrever a mensagem no celular e olhou para o chefe de gabinete do pai, que observava a vista da Constitution Avenue pela janela. 
— O que foi, agora? 
— Um protesto. Pequeno. Por volta de cinquenta pessoas. — Nathan balançou a cabeça. — Eles não têm nada melhor para fazer numa manhã de sexta-feira? 
Nathan era um pessimista, vítima de muitos anos na política da capital. Ele era um bom chefe de gabinete, e o escritório do senador Marshall operava com eficiência e sem problemas, mas perdera o propósito há muito tempo. Depois daquela eleição, Brady precisaria ter uma longa conversa com o pai, cogitando a possibilidade de sangue novo. 
— Talvez eles tenham prestado atenção na parte sobre “cidadania engajada” das aulas de Educação Cívica na escola e decidiram aproveitar este belo dia de outono para exercitar seus direitos e mostrar o descontentamento com... 
— Muitas coisas. — Eles estão protestando contra o quê, afinal? 
— Faz diferença? 
— Sim — Brady foi até a janela. Ele não podia ouvir a multidão, mas conseguia ver que eles estavam animados e engajados. 
— Se tenho mesmo que os encarar, quero saber se eles estão descontentes com alguma decisão política recente ou com meus sapatos de couro. 
— E por que você iria até lá? — Nathan foi até a mesa e abriu uma gaveta. 
— Vou me encontrar com um amigo no parque, e o caminho mais curto é passando por aquele grupo.
Voltando até a janela, Nathan ergueu um par de pequenos binóculos e focou a pequena multidão. 
— Não posso dizer com certeza, mas acho que são fanáticos pela natureza, pelos cartazes. 
— Você guarda um binóculo na sua mesa? Nathan deu de ombros. 
— São úteis, não são? Eu não quero saber. Nesse caso, a ignorância era uma bênção. 
— Então. — Ele se afastou da janela e começou a juntar suas coisas. —
O senador precisa dar uma olhada nisso tudo antes de se encontrar com o novo consultor, na quarta. Se ele quiser mesmo ter uma boa estratégia. Do contrário, eu vou cuidar disso pessoalmente. Embora aquela fosse a primeira vez que ele encabeçava oficialmente uma campanha, a impressão era de que passara a vida toda representando candidatos. 
Ele não gostava particularmente da rotina diária do mundo da política — e, independentemente das especulações, ele jamais pretendia assumir a cadeira no senado que sua família ocupava há quarenta anos —, mas campanhas, por outro lado... Campanhas eram um desafio. 
 
Série Momentos de Decisão
1 - Questão de Honra
2 - O Poder e a Glória
Série Concluída

Questão de Honra

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
Série Momentos de Decisão




Ela deveria apenas ser encontrada, ou também tinha que pertencera ele?

A missão era bem fácil. Karim al Khalifa, príncipe de Markhazad, precisava apenas encontrar o esconderijo da rebelde princesa Clementina Savanevski na Inglaterra e levá-la de volta para se casar...Mas com outro homem. Karim não tinha permissão para sentir seu perfume sedutor, se perder em suas curvas encantadoras ou retribuir os olhares encorajadores.
A honra de sua família, e também a de Clementina, exigiam que ela retornasse pura e casta ao reino e ao noivo indesejado. 
Para que a missão seja cumprida, ele terá que resistira cada segundo de tentação!

Capítulo Um

— Você sabe por que estou aqui.
A voz daquele homem era profunda e sóbria, e combinava com o tom escuro de seus olhos e seu cabelo... E seu coração, até onde Clemmie supunha. Parado junto ao batente da porta, sua figura imponente se destacava por revelar seus ombros largos, a altura impressionante, e sua força preocupante.
Bastante preocupante, Clemmie poderia dizer. Ela não sabia bem o que, na aparência dele, transmitia essa sensação de perigo iminente. Não tinha nada a ver com a postura dele naquele momento.

O homem estava relaxado, as mãos, enterradas nos bolsos da calça jeans de bom corte, que moldava os quadris estreitos e as pernas firmes. Nada que indicasse algum tipo de ameaça. E seu rosto, apesar de másculo e duro, não tinha nada que evocasse romances de mistério e suspense, que envolvem assassinos em série e vampiros ressurgidos do túmulo. 
Não que essas personagens encarnassem o mito de que o mal tem de ser feio. E aquele homem, com certeza, não era nada feio. Na verdade, era estonteante. Seus olhos, escuros e profundos, eram emoldurados por cílios perfeitos; suas feições eram marcantes; sua pele, bronzeada. Ele era a personificação da palavra “sexy”. Tudo nele despertava o que havia de mais feminino no coração de Clemmie, fazendo-a estremecer. 
A imagem de um vampiro devastador e perigoso firmou-se em sua mente, e ela não pôde deixá-la de lado. Era alguma coisa em seus olhos... Um olhar frio, direto, firme. Fixo e obstinado. Ela não conseguia entender aquele olhar. E por não conseguir encontrar uma razão para aquela frieza, tremia ainda mais, embora forçasse a si mesma a não demonstrar como se sentia. 
Assim, sorriu de um modo que esperava ser educado o bastante, mas não hospitaleiro. 
— Como é? 
Se o estranho notou a nota de rejeição e negação que Clemmie tentou impor em suas palavras, seu semblante enigmático não deixou transparecer. Com certeza não parecia desencorajado ou mesmo preocupado. Ele a encarou mais uma vez com aqueles olhos frios e repetiu, com mais ênfase: 
— Você sabe por que estou aqui. 
— Acho que não. 
Ela estava esperando alguém Temia sua chegada havia semanas, com a aproximação do dia em que celebraria seu vigésimo terceiro aniversário. Se “celebrar” fosse o termo certo para marcar o dia que significaria o fim da vida que conhecia e o começo de uma nova. 
O começo de uma existência que Clemmie sabia que se aproximava, mas que tentou ignorar, sem sucesso. O pensamento de que o futuro pairava sobre sua cabeça como uma nuvem escura de tempestade deixava Clemmie mais e mais aflita, conforme se aproximava a data da mudança de seu destino.
 
Série Momentos de Decisão
1 - Questão de Honra
2 - O Poder e a Glória
Série Concluída