Mostrando postagens com marcador Kristi Gold. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Kristi Gold. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Amante da Meia-Noite

ROMANCE CONTEMPORÂNEO 
Série Ricos e Reclusos
Selene Winston sabe que foi contratada para remodelar a mansão de Adrien Morrell, não para ter um caso com ele.

Ainda assim, seu recluso chefe assombrava seus sonhos mais escaldantes; fantasias enlouquecedoras povoavam sua mente. 
E não demora para que Selene sucumba a essa atração. Porém, se ela deseja algo mais do que apenas um amante, precisa domá-lo também além das quatro paredes.


Capítulo Um

Maison de Minuit. A Casa da Meia-noite.
O nome em si parecia sinistro, mas a sombria fazenda da Louisiana simbolizava os primeiros passos sérios de Selene Albright Winston em direção à liberdade.
Reunindo coragem, Selene saiu do carro, a apreensão acompanhando cada passo seu, enquanto ela andava para a longa varanda. Nem mesmo o sussurro de um vento movia as folhas e apenas o canto ocasional de uma cigarra perturbava o silêncio. Grandes carvalhos antigos se estendiam pelo gramado como sentinelas sinistras espantando intrusos. A grama alta estava repleta de ervas daninhas e não havia flores adornando os canteiros alinhados com a cerca-viva.
Ela parou a alguns metros da varanda para analisar a casa, que parecia ter sido abandonada também. Em muitos aspectos, tinha sido, pelo menos aparentemente. A fachada amarela-clara da mansão grega mostrava sinais de envelhecimento, assim como as persianas e as seis colunas enormes sustentando a estrutura... Todas estranhamente pintadas de preto. Ela esperava que o interior estivesse melhor do que o exterior, do contrário, nem mesmo a pessoa mais curiosa ousaria pôr os pés neste lugar. Na verdade, virar-se e voltar para a segurança foi o instinto inicial de Selene. Não desta vez. A segurança também tinha um preço.
Quando ela começou a subir a escada de madeira que levava à entrada, esta rangeu, como se fosse quebrar. Todavia, o ataque abrupto em sua mente provou ser muito mais perturbador.
Olhos. Olhos azul-claros. Olhos intensos.
Selene afastou a imagem da mente e fechou bem os olhos até fazê-la desaparecer. Mas quando galgou o segundo degrau, a visão voltou, roubando seu fôlego e sua confiança. Recusava-se a deixar isso acontecer. Não convidaria isso para seu mundo, não quando tentara tão arduamente, por tantos anos, manter aquilo reprimido.
Ela respirou fundo e ergueu um escudo mental invisível que desenvolvera para autoproteção, aliviada ao descobrir que este não a decepcionou enquanto ela subia o resto da escada e pisava na varanda.
Após breve hesitação, bateu à porta preta, então alisou o vestido vermelho sem mangas. Embora o tecido fosse leve, ela sentia como se estivesse usando um casaco de inverno. Prendera os cabelos na altura da nuca, entretanto, isso oferecia pouco alívio do calor imperdoável de junho. É claro, o nervosismo contribuía para seu desconforto, assim como o fato de que ninguém atendia às batidas à porta.
Ela bateu mais uma vez, sentindo-se tanto aliviada quanto ansiosa quando ouviu o som de passos se aproximando. Não tinha ideia de quem podia estar do outro lado da porta. Não tinha a menor ideia se encontraria um amigo ou um inimigo... ou, talvez, até mesmo o dono dos olhos perturbadores.
A porta finalmente se abriu para surgir uma mulher de olhos escuros, na casa dos sessenta anos, com cabelos grisalhos num estilo curto e clássico. Ela apresentava uma expressão reservada, porém não parecia ser ameaçadora.
— Posso ajudá-la? — perguntou ela numa voz suave que contrastava com as feições sérias.
— Você é a sra. Lanoux? — perguntou Selene.
— Sim. E você é...?
Pelo menos, Selene estava no lugar certo, mesmo se a mulher não parecesse saber por que ela estava lá.
— Selene Winston. Eu estou aqui para a restauração.
— Eu estava esperando você amanhã.
Quando elas tinham se falado, na última sexta-feira, Selene era capaz de jurar que elas haviam combinado que ela seria entrevistada para o trabalho na segunda-feira. Talvez ela devesse voltar para a hospedaria local, onde estava residindo pelos últimos dez dias, desde a fuga espontânea da Geórgia. Talvez devesse entender esse mal-entendido como um sinal de “Não Entre”.
— Se não é um bom momento, posso voltar amanhã.
— Imagine — disse a mulher, dando um passo ao lado e gesticulando para Selene entrar. — Bem-vinda à Maison de Minuit...

Série Ricos e Reclusos
1- Amante da Meia-Noite


quarta-feira, 24 de maio de 2017

Segredos do Deserto

ROMANCE CONTEMPORÂNEO

O herdeiro secreto!

Kira Darzin jamais imaginou que sua missão de entreter um misterioso bilionário se estenderia até o quarto dele! 
Mas foi preciso apenas um olhar do sensual Tarek Azzmar para ela perceber que seria impossível resisti-lo. 
Filho ilegítimo do rei de Bajul, Tarek só queria se vingar do homem que o abandonara. 
E por mais que tenha ficado completamente hipnotizado por Kira, ele sabia que precisava se afastar. 
Porém, ela descobre estar grávida. E para ter um futuro ao lado de sua nova família, Tarek terá de abrir mão do passado.

Capítulo Um

Como chefe da administração do palácio Real do país autônomo de Bajul, Kira Darzin havia se acostumado a ser requisitada de última hora pelo rei. Mas, ao parar na porta do escritório, ondas de choque tomaram o corpo dela quando seus olhos pousaram no homem inegavelmente lindo sentado próximo da mesa.
Com o cabelo negro curto impecável, o terno cinza sob medida perfeito e os mocassins italianos escuros, ele podia muito bem ser um bilionário de sucesso. 
As mãos descansando casualmente sobre os braços da cadeira de brocado vermelho e o queixo sutilmente erguido lhe davam a aparência de um autocrata arrogante qualquer. Ainda assim, quando Kira olhou nos olhos negros de Tarek Azzmar, o poder daquele olhar intenso ameaçou sobrepujá-la, como já havia feito em uma fatídica noite não muito tempo atrás.
Ela viu uma confiança inequívoca e percebeu segredos profundos. Sentiu a atração do perigo incitante. 
Um lugar onde ela já estivera com ele e com outro homem de seu passado. Um lugar para onde ela havia jurado nunca mais voltar.
Ela também reparou que, de alguma forma, o ar régio dele dava a impressão de que era ele quem estava recebendo, no escritório particular que pertencia a Rafiq Mehdi, o monarca oficial de Bajul, que estranhamente estava ausente. 
Todavia, o assistente pessoal do rei, sr. Deeb, não estava muito longe. As palavras do sr. Deeb soaram minúsculas aos ouvidos dela conforme Tarek levantou-se, revelando seus 1,80m de pura beleza masculina.
Com esforço, Kira recobrou calma suficiente para fingir que nunca havia se deparado com o magnata marroquino, com exceção de alguns eventos sociais. Uma mentira descarada.
— É um prazer revê-lo, sr. Azzmar, — disse ela com um sorriso educado e um tanto forçado.
— O prazer é todo meu, srta. Darzin — disse ele.
A ênfase dele desenterrou várias imagens na mente de Kira. Beijos ardentes. Corpos nus. Uma noite de paixão inacreditável. E seis semanas depois daquela experiência, nem uma palavra sequer dele.
O pensamento amargo lhe trouxe de volta aos negócios.
— O que posso fazer para os cavalheiros hoje? 

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Inocente Fantasia

ROMANCE CONTEMPORÂNEO



Sheik, príncipe… marido?

O príncipe Adan Mehdi adora o jogo da sedução. 
Porém, a inocência da herdeira americana Piper McAdams o faz manter-se distante. 
Ela acredita nas boas intenções de Adan… até uma ex-namorada aparecer carregando o filho dele nos braços. 
Ainda assim, Piper concorda em ajudá-lo, fingindo ser sua esposa até que o processo da guarda do bebê seja finalizado. 
Contudo, ser um casal de mentirinha põe à prova o autocontrole de Adan. E logo esse relacionamento fica mais quente do que ambos poderiam fantasiar…

Capítulo Um

Se uma mulher quisesse uma viagem para o paraíso, o homem lindo sentado ao bar podia ser a passagem. E Piper McAdams estava mais do que pronta para embarcar naquele trem do prazer.
Pelos últimos vinte minutos, ela estava sentada a uma mesa de canto no saguão do hotel, em Chicago, tomando um drinque, enquanto estudava as qualidades do estranho, pelo menos aquelas que podia ver na luz fraca. Ele usava um terno azul-marinho elegante, um relógio caro e a boa aparência como um distintivo de honra. 

O cabelo castanho-escuro parecia ter sido intencionalmente repicado ao acaso, mas era sexy e complementava a leve sombra de uma barba cerrada. E aquelas covinhas. Ela as vira na primeira vez que ele sorrira. Nada melhor do que covinhas num homem, exceto talvez...
O pensamento atingiu o cérebro de Piper como uma bala, fazendo-a fechar os olhos e esfregar as têmporas, como se estivesse com uma tremenda dor de cabeça. Pensou que sua reação se devia ao fato de ser uma sócia antiga do Clube de Celibatários Involuntários. 
Ela não era necessariamente uma puritana, apenas exigente. Certamente não era contra sexo antes do casamento, no contexto de um relacionamento com compromisso. Simplesmente, não tinha achado o homem certo, embora não por falta de tentativa. Mas nunca, em seus 26 anos, considerara acabar com sua seca sexual com um completo estranho... até esta noite.
O som de uma risada levou seu olhar de volta para o estranho, onde a bonita atendente de bar inclinou-se em direção a ele, expondo grande parte do colo. Estranhamente, ele continuou focado no rosto da loira, até que olhou na direção de Piper.
No momento em que Piper encontrou-lhe o olhar, e ele sorriu, ela imediatamente olhou para trás a fim de procurar outra loira, mas não havia nenhuma. Quando ela o fitou e descobriu que ele ainda a encarava, começou a mexer no celular, fingindo ler uma mensagem inexistente.
Que maravilha. Ele a pegara olhando-o como uma adolescente, e Piper acabara de inflar o ego do homem. Ele não estaria interessado nela, uma morena comum, quando tinha uma loira alta e esguia a sua disposição. Ele provavelmente poderia ter qualquer mulher que desejasse. De qualquer forma, ela tirou um espelho da bolsa e checou sua aparência, certificando-se que sua franja estava no lugar e que sua maquiagem não borrara.
Dar-se ao trabalho de se enfeitar para um homem feito ele era ridículo. A vida lhe ensinara que ela só se interessava por homens que achavam seus bons modos e fundo fiduciário muito atraentes. Não, aquele estranho nunca a olharia duas vezes...
– Você está esperando alguém?
O coração de Piper disparou ao som da voz dele. Uma voz muito profunda e muito britânica. Então, ela viu os olhos incríveis. Olhos castanhos tão claros feito topázio polido.
– Na verdade, não – ela conseguiu responder num tom que soava como se ela fosse o sapo para seu príncipe, e não o contrário.
Ele descansou a mão na cadeira oposta, um anel de ouro contendo um único rubi circulando o dedinho.
– Posso sentar-me com você?



domingo, 22 de novembro de 2015

Herança de Sedução

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
Série A Dinastia dos Lassiters


Um testamento... um segredo.

Quando Hannah Armstrong abre a porta e dá de cara com um cowboy, fica de queixo caído. Além do homem ser extremamente lindo, Logan Whittaker veio lhe dizer que ela é herdeira da fortuna dos Lassiters. E se oferece para ajudá-la a descobrir a verdade sobre seu pai biológico. Juntos no rancho de Logan, ele deseja que o relacionamento evolua de meramente profissional para algo mais íntimo. 

Contudo, quando são tomados pela febre da paixão, segredos obscuros vêm à tona, colocando à prova seus desejos mais profundos.

Capítulo Um

Que fim de abril, com pouco dinheiro e um encanamento vazando.
Todavia, Hannah Armstrong não podia acreditar em sua súbita mudança de sorte. Vinte minutos depois de ter chamado um encanador, às 5h da tarde, e a atendente da firma ter lhe dito que tentaria mandar alguém lá hoje, a campainha tocou.
Ela saiu da cozinha inundada e, cuidadosamente, atravessou a sala de jantar úmida, que estava coberta com toalhas. Depois de entrar na sala de estar, ultrapassou outros obstáculos, que consistiam de um conversível de plástico, pintado de rosa-choque, assim como uma fileira de trajes em miniatura, que faria inveja ao mundo da moda de bonecas.
— Cassie, querida, você precisa recolher seus brinquedos, antes de poder passar a noite com Michaela — avisou Hannah, em seu caminho para atender a porta.
Imediatamente, recebeu o usual:
— Num minuto, mamãe. — Veio à voz do corredor a sua direita.
Hannah começou a ralhar com sua filha por adiar a tarefa, mas estava muito ansiosa para cumprimentar seu cavaleiro com um cinto de ferramentas brilhantes. Todavia, quando abriu a porta, ficou completamente atônita pelo homem parado em sua varanda. O homem devia ser o encanador mais bonito de Boulder. Correção. De todo o Colorado.
Ela rapidamente catalogou os detalhes, mais de 1,85m, cabelos pretos bem cortados, que brilhavam no sol, e olhos que a lembravam de um cappuccino. Ele usava um casaco esporte azul-marinho que cobria uma camisa branca com colarinho aberto, jeans desbotados e botas de cowboy polidas, indicando que provavelmente tinha saído de algum tipo de reunião em família. Ou talvez, de um encontro amoroso, pois não usava aliança de casado.
— Sra. Armstrong? — perguntou ele, o sotaque levemente arrastado.
Considerando sua própria aparência. Jeans rasgado, descalça, cabelos presos num rabo de cavalo desengonçado e uma camiseta azul desbotada, Hannah pensou em negar sua identidade, mas canos vazando tinham precedência sobre orgulho.
— Sou eu, e estou satisfeita em vê-lo.
— Você estava me esperando? — A expressão e o tom de voz dele revelavam confusão.
Ele só podia estar brincando.
— É claro, embora esteja surpresa por você ter chegado tão depressa. E, como obviamente interrompi seus planos de sexta-feira à noite, saiba que apreciei muito sua vinda. Só uma pergunta antes que você comece. Quanto você cobra em horários fora do expediente?
Ele parecia decididamente desconfortável.
— Entre duzentos e cinquenta e quatrocentos, independentemente do horário.
— Dólares?
— Sim.
Ridículo.
— Isso não é um pouco exorbitante para um encanador?
A surpresa inicial dele dissolveu-se num sorriso, revelando covinhas que encantaria a garota mais cínica.
— Provavelmente, mas não sou encanador.
O rosto de Hannah esquentou diante de sua suposição estúpida. Se tivesse raciocinado, teria percebido que ele não era um homem típico da classe trabalhadora.
— Então, o que você é? Quem é você?
Ele tirou um cartão do bolso de sua jaqueta e ofereceu-lhe.
— Logan Whittaker, advogado.
Uma onda de medo deixou Hannah sem resposta por um momento, até que ela percebeu que não tinha motivo para temer um advogado. Conseguiu presença de espírito suficiente para pegar o cartão e estudar o texto. Infelizmente, suas perguntas sobre por que ele estava lá continuaram sem respostas. Nunca ouvira falar da firma de advocacia Drake, Alcott e Whittaker nem conhecia ninguém em Cheyenne, Wyoming.
Levantou a cabeça para encontrá-lo estudando-a intensamente.
— Do que se trata isto?
— Eu estou ajudando a distribuir os bens do falecido J.D. Lassiter — disse ele, então pausou, como se aquilo significasse alguma coisa para ela.
— Lamento, mas não conheço ninguém chamado Lassiter, portanto, deve haver algum engano.
Ele franziu o cenho.
— Você é Hannah Lovell Armstrong, certo?
— Sim.
— E o nome de sua mãe é Ruth Lovell?
A conversa estava ficando mais estranha a cada minuto.
— Era. Ela faleceu dois anos atrás. Por quê?
— Porque ela foi nomeada como beneficiária secundária, caso alguma coisa acontecesse a você, antes que você reivindicasse sua herança.
Herança. Certamente, aquilo não podia ser verdade. Não depois de tantos anos fazendo suposições e alimentando a esperança de que algum dia...
Então o aviso de sua mãe lhe veio à mente:
Você não precisa saber nada sobre seu pai desprezível, ou sobre a família cruel dele. Ele nunca se importou com você desde o momento em que você nasceu. É melhor que você nunca saiba...

Série A Dinastia dos Lassiters
2- Herança de Sedução

terça-feira, 12 de maio de 2015

Rendição Total

ROMANCE CONTEMPORÂNEO




“Eu nunca esqueci aquela noite..."

Para tornar-se sheik, Rafiq Mehdi foi obrigado a se casar com a noiva escolhida por seu pai, deixando Maysa Barad de coração partido. 
Anos mais tarde, ele precisava fugir da dor que o consumia, por isso buscou conforto na única mulher que sempre amou. 
A total rendição de Maysa o faz se arrepender de seu casamento de conveniência, que não lhe trouxe nada além de infelicidade.
Maysa sim era perfeita para ele. Linda, devotada, compassiva — e considerada muito independente para ser a esposa de um sheik! 
Rafiq esta disposto a enfrentar seu reino para ficar com ela, mas a verdade sobre Maysa poderá causar uma reviravolta em seu mundo!

Capítulo Um

O rei Rafiq ibn Fayiz Mehdi possuía inteligência aguçada, grande poder e riquezas infinitas. No entanto, nada disso havia ajudado a impedir uma tragédia devastadora, pela qual havia sido parcialmente responsável.
Quando o sol começou a se pôr, ele estava na varanda do último andar de seu palácio, olhando para o panorama que se estendia diante dele. O território diverso que um dia reverenciara agora parecia ameaçador, reavivando lembranças perturbadoras que cortavam sua compostura como uma lâmina bem-afiada.
Uma estrada escura e sinuosa à meia-noite. Silêncio e medo. Luzes piscantes iluminando o fundo de um precipício. Os destroços de metal retorcidos...
— Se você acha que vai mover as montanhas apenas olhando para elas, eu lhe garanto que não vai funcionar.
Ao som da voz familiar, Rafiq virou-se para ver o irmão de pé apenas alguns passos atrás dele.
— Por que você está aqui?
Zain se aproximou de Rafiq e recostou-se contra o parapeito de pedra ao seu lado.
— É assim que você cumprimenta o homem que tão generosamente lhe entregou as chaves para o reino há um ano?
O mesmo homem que tinha abdicado do trono por amor, uma emoção que Rafiq nunca tinha abraçado totalmente.
— Minhas desculpas, irmão. Eu só o esperava em um mês.
— Completei a preparação inicial para o projeto de conservação da água e achei que era hora de voltar.
Em circunstâncias normais, ele iria apreciar a companhia de Zain. Ultimamente, preferia a solidão.
— Você viajou sozinho?
— Claro que não — disse Zain. — Não viajo sem minha família, a menos que seja absolutamente necessário.
Rafiq nunca acreditou que ele iria ouvir seu irmão mulherengo proferir essas palavras.
— Então Madison está com você?
— Sim, e meus filhos também Estou ansioso para que você finalmente conheça sua sobrinha e seu sobrinho.
Rafiq não compartilhava do entusiasmo de Zain. Estar na presença de duas crianças só serviria para lembrá-lo do filho que ele havia perdido.
— Onde estão eles agora?
— Madison e Elena estão cuidando deles.
Pelo menos ele poderia evitar, por enquanto, a apresentação dolorosa.
— Estou feliz que você enfim tenha trazido Elena ao seu lugar de direito. A família não funciona bem sem ela.
— Foi o que ouvi — disse Zain. — Eu também soube que você está correndo o risco de causar uma revolta entre os funcionários do palácio se continuar a aterrorizá-los.
Rafiq de fato estava tendo problemas para manter a calma nos últimos dias, mas não se importou com a acusação exagerada.
— Eu não tenho aterrorizado o pessoal. Apenas os estou corrigindo quando é necessário.
— É de meu entendimento que você achou necessário corrigi-los diariamente, irmão. Eu também soube que você não está cooperando com o Conselho.
Rafiq começou a questionar a verdadeira razão por trás da aparição surpresa de Zain.
— Você tem falado com nosso irmão mais novo?
O olhar de Zain vacilou.
— Falo com Adan às vezes.
— E vocês claramente estiveram discutindo sobre mim
— Ele apenas mencionou que você estava passando um momento difícil desde a morte de Rima.
As suspeitas de Rafiq tinham sido confirmadas: Zain tinha voltado mais cedo para brincar de babá.
— Apesar do que você e Adan possam acreditar, eu não preciso de um cuidador.

sábado, 25 de outubro de 2014

O Retorno do Sheik

ROMANCE CONTEMPORÂNEO 
Série Caminhos Cruzados



Depois de sete anos ausente, o príncipe herdeiro Zain Mehdi volta ao reino precedido por uma péssima reputação. 

Mas a impetuosa consultora Madison Foster está lá para ajudá-lo a melhorar sua imagem.
Só que ela se recusa a ser mais um brinquedinho do sheik... 
Um romance entre um nobre e uma plebeia é proibido. Ainda assim, Madison não resiste às noites ardentes na cama de Zain, entregue em seus braços fortes.
Apaixonar-se pelo príncipe herdeiro já é perigoso demais, contudo, carregar em segredo uma vida dentro de seu corpo poderá pôr um fim definitivo ao reinado de Zain... ou trazer um final feliz.

Capítulo Um

No momento em que Madison Foster saiu da limusine preta, o número de guardas chamou sua atenção, revelando a grande importância de seu futuro cliente. 
A névoa fina se transformou em chuva enquanto atravessava o estacionamento. Um guarda corpulento estava à sua direita, outro menor, à esquerda enquanto dois empregados com ternos escuros a conduziram na direção do arranha-céu em Los Angeles. 
Perto da entrada, ela ouviu uma série de gritos e ouviu flashes de câmeras espocando, contudo não ousou olhar para trás.
Cometer esse erro fatal poderia colocá-la na capa de alguma revista de fofocas com uma manchete do tipo: “Nova Amante do Príncipe Playboy”. Uma suposta amante despenteada. Já sentia os efeitos da umidade no cabelo rebelde, eriçando seu rabo de cavalo. Deu adeus ao visual profissional com cabelo arrumado e macio.
E era uma mentira essa história de que nunca chovia no ensolarado sul da Califórnia. Quando os guardas abriram a pesada porta de metal e a fizeram entrar, Madison pisou no chão de ladrilhos com o cuidado de quem pisa em gelo fino. 
Será que não viam que ela usava saltos altos? Sem dúvida, pouco se importavam, refletiu enquanto percorriam depressa o saguão que parecia um labirinto. Por sorte, chegaram a um corredor acarpetado antes que ela levasse um tombo, ferisse seu orgulho ou algo pior. 
Logo alcançaram um elevador isolado ao final da passagem onde alguém registrou uma senha junto à porta. Os homens se moviam como robôs bem programados.
Madison se sentia em um filme de ação e mistério. Eles mantinham os olhos treinados fixos à frente, sem lhe lançar olhares, muito menos lhe dirigir a palavra enquanto subiam para a cobertura. 
O elevador parou com suavidade momentos depois, e a porta se abriu revelando um senhor com um terno de seda cinza; sua careca e os óculos de aros de metal lhe davam um ar professoral. Ele ofereceu a mão à Madison com um sorriso hesitante.
— Bem-vinda, Srta. Foster. Sou o Sr. Deeb, assistente particular de Sua Alteza. Madison apertou a mão do homem e devolveu o sorriso.
— Muito prazer, Sr. Deeb.
— O prazer é todo meu. — Ele deu um passo de lado e fez um gesto para sua direita.
— Venha comigo, por favor.
Com os guardas protegendo a retaguarda, como bons soldadinhos, percorreram o vestíbulo de chão de mármore negro. Filha de diplomata e consultora política, Madison conhecia a opulência e sabia apreciar o bom gosto. 
Altas janelas revelando Hollywood Hills chamaram sua atenção antes que observasse a escada com corrimão de aço escovado que levava ao segundo andar da cobertura. As linhas simples e o mobiliário moderno eram o sonho de qualquer decorador, mas não o que ela esperara.
Imaginara móveis com pedras preciosas, muito ouro e estátuas de reis, mas se encontrava simplesmente em um apartamento de um homem solteiro. É claro que de um solteiro extremamente rico. Apenas o melhor servia para o sheik Zain ibn Aahil Jamar Mehdi, príncipe herdeiro de Bajul, que recentemente, e de modo inesperado, se tornara o futuro rei do país e, em breve, assumiria o trono.
Por isso ela estava ali... para restaurar a reputação abalada do homem de muitos nomes. E teria que fazer isso em menos de um mês.
— Você não pode flertar com os clientes — avisei a Fawn.
— Muito menos sair com eles.
— As regras eram rígidas na Sphere.
— Você está brincando comigo? — Fawn alisou a frente de seu paletó e beliscou o rosto para lhe dar um pouco de cor, truque que eu já tinha visto Scarlett O’Hara fazer no cinema.
— Sair com um cara como Trey vale a demissão da empresa. Empresas de gestão de bens são um centavo em meio à fortuna de Los Angeles. Homens como esse, por outro lado, são raros.







Série Caminhos Cruzados
1 - O Retorno do Sheik
2 - Volta Ao Ninho

domingo, 28 de julho de 2013

Regra De Ouro

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
Série Os Barone





O acordo. 

O rosto exuberante do sheik Ashraf ibn-Saalem’s era inesquecível. 
Mas Karen Rawlins, uma prima perdida dos Barone, havia prometido a si mesma não esquecer as cláusulas do contrato de casamento. 
Ambos desejavam uma criança gerada pelo amor. 
Por outro lado, Karen não queria um marido controlador, e Ashraf não estava disposto a se apaixonar. 
Parecia uma solução fácil fazer um filho e ficarem juntos somente até o nascimento do bebê. 
Porém, nada seria tão simples após uma noite com Ashraf à tradição árabe. 
Embora Karen tivesse concebido, ela ansiava pelo beijo e pela cama dele. 
Seriam apenas os hormônios em polvorosa ou Karen havia quebrado a regra áurea do acordo pré-nupcial e se apaixonara pelo próprio marido?

Capítulo Um

Ah, não, ele de novo?
De trás do balcão de mármore da famosa sorveteria Baronessa da família Barone, Karen Rawlins bateu o cotovelo na quina da caixa registradora e reprimiu um grito que seria ou­vido por toda a vizinhança. 
Não só isso, mas conteve também uma cantilena de blasfêmias direcionadas ao homem solitário, sentado na mesa de canto perto das janelas. 
Ele reluzia como um holofote em meio à tradicional sorveteria italiana da famí­lia Barone.
Karen orgulhava-se por ter um olho clínico, e esse homem em particular aproximava-se da perfeição. 
A aparência exótica compunha o retrato perfeito do estranho misterioso.
No entanto, o sheik Ashraf Saalem não era um desconheci­do. Ela o tinha encontrado durante a festa de boas-vindas que a família Barone tinha feito para ela.
Era de admitir que ele tivesse certo charme e muito caris­ma. Ok, talvez fosse mais do que isso.
Ele era dono de uma confiança perturbadora. Até onde sabia, tamanha confiança denotava controle.
Karen não se preocupava com homens daquele tipo, que com um simples olhar significativo fizesse uma mulher tremer. 
E ela já havia recebido algumas dúzias de olhares na última vez em que tinham estado juntos. Tampouco esqueceria o que mais havia acontecido naquela noite.
Um beijo. Um beijo que quase a fez desmaiar e a terra tre­mer. Um carinho que seria impossível ignorar, embora fosse exatamente o que deveria ter feito. 
Agora precisava fingir que não notava os olhares ocasionais daqueles olhos escuros como o conhecido café expresso da sorveteria. 
Não era uma tarefa fácil, mesmo porque ele tinha trocado as tradicionais vestes árabes por um terno bege e um pulôver tão escuro quanto seu cabelo farto.
Ele se parecia com qualquer outro homem de negócios durante um intervalo do agitado mundo financeiro, embora mantivesse a aura de autoridade. Mas não era um homem co­mum, fato que Karen percebeu assim que o conhecera, e o tinha beijado.
Depois de mais um olhar furtivo, Karen voltou aos seus afa­zeres, alinhando as taças de sundae embaixo do balcão. 
Tinha um trabalho a realizar e tinha sido muito bem recebida pela prima Maria, gerente da loja. 
Desde então, tinha sido aceita pela grande família Barone com muito afeto e ganhado o belo apartamento que pertencera à outra prima, Gina. 
Agora que sua vida tinha, finalmente, tomado um rumo, não tinha tempo, ou mesmo a intenção, de se distrair com um homem, mesmo que ele fosse um príncipe carismático.
Como se totalmente desprovida de força de vontade, Karen arriscou outra olhadela rápida. 
Não havia como ignorar a pre­sença dele na loja praticamente deserta. 
Na verdade, não era surpresa alguma não haver muitos outros clientes, pois o mo­vimento do horário de almoço terminara fazia pouco tempo. A maioria das pessoas estava de volta às duas e escritórios de Boston, retomando as atividades vespertinas.
Todo mundo, menos o sheik. Além dele havia um casal em uma mesa mais escondida, de mãos dadas e sussurrando, en­quanto o sorvete virava uma sopa de fruta.
Que desperdício, pensou Karen. Uma exposição sentimental ridícula. Logo cen­surou sua atitude cínica. Quem poderia negar que aquele casal em particular não havia encontrado a felicidade eterna?
Tudo bem que tinha afastado os sonhos de ter um parceiro para a vida inteira, mas isso não impedia que outros encontrassem suas al­mas gêmeas.
— Pelo jeito você tem visita.



Série Os Barone
1- Simplesmente Amor
2- Admirador Secreto
3- Doce Adormecida
4- Fantasia Real
5- Paixão em Chamas
6- A Bela e o Anjo Azul
7- A Cinderela E O Milionário
8- Medo de Amar
9- Regra de Ouro
10- Apelo Selvagem

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

No Calor do Teus Braços

ROMANCE CONTEMPORÂNEO

O trabalho de Zach Miller era garantir a segurança de Erin. Antes disso, porém, ele precisava convencer aquela jovem bela e independente de que ela precisava de sua proteção... Ao mesmo tempo em que precisava esconder o desejo que sentia por ela, para evitar que ambos corressem perigo! Tendo recentemente conquistado sua liberdade, Erin Brailey queria contar apenas consigo mesma, embora Zach parecesse mais do que capaz de satisfazer todas as suas necessidades. 
Mas, depois de trocar algumas caricias ardentes com seu novo protetor, Erin não podia deixar de se perguntar se estaria de fato segura nos braços de Zach... 

Capítulo Um 

Ele podia ter toda a aparência de um bom moço norte-americano, mas alguma coisa dizia a Erin Brailey que aquele homem nada tinha de escoteiro... 
Zach Miller entrou em seu escritório com toda a elegância de um atleta, chamando de imediato sua atenção. E, embora se pudesse dizer que a aparência dele era um tanto inadequada para um encontro de negócios, Erin gostou de sua camisa clara e da calça jeans que pareciam moldar de maneira muito especial aquele corpo. No entanto, apesar dos cabelos muito escuros, da estatura elevada e poderosa de Zach, ela se recusava a deixar-se dominar por sua figura. Aquele era um encontro de negócios, nada mais. 
Talvez, até, o encontro mais importante de sua vida. Ela se levantou e caminhou até o lado da escrivaninha para oferecer-lhe a mão direita. 
— Sr. Miller, meu nome é Erin Brailey, diretora executiva do Rainbow Center. Obrigada por ter vindo — disse, em um sorriso. 
— Muito prazer em conhecê-la, Srta. Brailey — ele cumprimentou com voz grave, que combinava muito bem com seu aperto de mão forte e severo. 
Erin voltou, então, para sua cadeira, atrás da mesa e, com um gesto delicado, indicou o lugar que ele deveria ocupar logo a sua frente. Assim que Zach se sentou, Erin abriu uma pasta e verificou rapidamente as folhas que havia dentro dela. 
— Imagino que saiba que aceitamos sua oferta — informou. — Não, eu não sabia até este momento. — Ele se inclinava de leve, a cabeça apoiada na mão, olhando-a com atenção redobrada. Sua postura confortável, porém, era um contraste para seu ar de absoluto autocontrole. 
Erin percebia-lhe o olhar atento e voltou a consultar as folhas para evitá-lo. Passou a mão pela franja, que lhe vinha sobre os olhos e, com esse movimento, sentiu o aroma da colônia que ele provavelmente estaria usando. 
— Bem, sei que o pagamento não será o que está acostumado a receber... No entanto, é uma quantia bastante significativa para nosso centro — comentou, recostando-se, já que tinha, por força da entrevista, que olhá-lo de frente. 
— Posso lhe assegurar que ficará totalmente satisfeita com o serviço e todos dirão que esse dinheiro foi muito bem aplicado. — A resposta séria foi acompanhada de um olhar intenso e profundo, que começava a deixar Erin pouco à vontade. 
Era estranho, mas as palavras dele, pronunciadas com voz tão mansa, e o olhar incrivelmente significativo pareciam-lhe uma proposta quase indecente; e Erin se via tentada a aceitar... 
Meneou a cabeça, achando que estava tendo pensamentos tolos demais, então cruzou as mãos sobre a pasta, sentindo-as úmidas. 
— Na verdade, não estou preocupada com a qualidade de seu trabalho — confessou. 
— O senhor foi altamente recomendado por Gil Parks e confio demais no julgamento dele. No entanto, eu gostaria de compreender qual é sua real motivação ao aceitar um emprego que poderá não ser tão bem remunerado quanto está acostumado... Zach pensou por instantes antes de responder: 
— Suponho que não esteja esperando um discurso sobre meu interesse em servir a comunidade ou algo parecido... 
Erin também demorou a responder: 
— Estou apenas esperando uma resposta sincera — disse, firme. 


DOWNLOAD

domingo, 7 de outubro de 2012

Receita para o Amor

ROMANCE CONTEMPORÂNEO


Um noivado terrível rompido... Seguido de um romance maravilhoso e apimentado. 

Eis uma ótima receita para fazer a pele de qualquer mulher brilhar. 
E a famosa chef Corri Harris acrescentou um ingrediente muito especial, Aidan O’Brien, executivo sexy, sedutor e... Dono do estúdio de televisão em que ela grava seu programa de culinária! 
A atração entre os dois é fatal, e Aidan incentiva a sensualidade de Corri a cada instante. 
Mas ela sente que ele poderia se entregar mais também... 
Afinal, ainda que os momentos vividos com Aidan sejam deliciosos como o pecado, Corri logo se vê desejando muito mais. 
E, como chef de cuisine, ela pretende acrescentar um certo temperinho que falta nessa relação... 

Capítulo Um 

Que maneira covarde de dizer adeus... Sem acreditar, Corinna Harris olhava a carta que punha um fim em seu noivado sobre a penteadeira de mármore rosa do camarim, uma pequena missiva entregue a ela alguns minutos antes. 
Ela não se surpreendia com o fato de seu ex-noivo escolher aquela maneira para terminar tudo. 
Afinal, Kevin O’Brien era um jornalista, versado na palavra escrita, embora essa correspondência em particular fosse simples e direta. “Obrigado por tudo, Corri, mas chegou a hora de terminar. Sinta-se à vontade para ficar com o anel. 
Foi divertido.” Divertido? Depois de oito meses de um noivado vazio, esperava que ele tivesse a delicadeza de dizer pessoalmente que estava tudo acabado. 
Não que ela estivesse surpresa. Não que ela estivesse com raiva... Corri arrancou do dedo o anel, que ostentava um diamante de um quilate, e o lançou como um míssil pelo camarim, onde se chocou contra a parede e caiu em algum lugar no felpudo carpete azul. 
Se acontecesse dele ficar entalado no aspirador de pó do pessoal da limpeza, que pena! 
Não queria nenhuma lembrança de um relacionamento que fora basicamente uma mentira. 
A batida na porta assustou Corri e a trouxe de volta à realidade. 
Tinha algo a fazer, trabalho. 
— Cinco minutos — disse alguém da equipe. 
— Certo. Estou pronta. Estava realmente pronta? 
Poderia enfrentar uma platéia e fingir que nada acontecera? 
E justamente naquele dia, durante sua primeira apresentação ao vivo, em um programa sobre a preparação do prato perfeito para os apaixonados nas festas de fim de ano. 
Seis dias antes do Natal. Claro que ela poderia fazê-lo. 
Kevin poderia ter arruinado a vida dela temporariamente, mas ela se recusava a deixar aquela falta de consideração arruinar sua carreira. 
Depois de vestir o dólmã branco de chef, aquele ornado de colherinhas de madeira, Corri verificou outra vez a maquiagem e ajeitou o rabo-de-cavalo. 
Umas poucas lágrimas ameaçavam irromper dos olhos perfeitamente pintados, mas ela não iria permitir que elas caíssem. 
Em vez disso, ficou furiosa. Agarrou-se tão fortemente à raiva quanto um náufrago a uma bóia. 
Isso bastou para que ela entrasse em cena, com um sorriso falso cuidadosamente forjado. 

quinta-feira, 31 de março de 2011

Series For Keeps

1. Coração Invencível
Um caubói rebelde e sedutor...

A tímida Dana Landry estava fascinada por Will Baker. 

O sorriso dele e os cabelos dourados davam-lhe um charme irresistível, e os olhos transmitiam uma virilidade que deixava Dana enfeitiçada..mas desiludida
...Porque a última coisa que aquele peão de rodeios queria era envolver-se seriamente como uma mulher. 
Ele não podia dar a Dana o romance de conto de fadas com que ela sonhava, ou seja, casamento e filhos. Por isso, ao sentir que a doce Dana ameaçava derrubar as barreiras que protegiam seu coração, Will quis fugir. Mas desta vez, não seria tão fácil...

Capítulo Um

Quando Dana Landry por fim encontrou sua filhinha, dentro daquele estábulo, sua primei­ra reação foi de alívio. A segunda, porém, foi algo muito mais desconcertante: uma reposta muitíssimo feminina ao homem que se encontrava abaixado diante da criança, animado numa conversa que parecia ser muito interessante para ambos.
Callie acabara de encontrar um caubói; mas não um qual­quer. Seus ombros largos e os traços firmes do rosto emanavam força. Sua calça jeans muito usada exibia todos os seus atri­butos masculinos, detalhes que Dana, apesar de sua atitude cautelosa em relação aos homens, não pôde deixar de notar.
Saber que sua filha estava bem e a salvo devia tê-la acal­mado e feito com que seu pulso voltasse ao normal, mas isso não acontecera. Afinal, a impressão que aquele homem estava lhe causando era de tirar o fôlego.
Era estranho ver a menina falando com alguém que desco­nhecia. Callie jamais falava com estranhos, em especial porque sabia que a maioria deles nunca responderia. No entanto, era isso o que aquele rapaz estava fazendo, e parecia contente por dialogar com a garota. Um sorriso sincero e amável iluminava seu semblante atraente.
E Callie prestava atenção a cada detalhe de seus lábios e de seus gestos. Porque era surda.
E aquele vaqueiro possuía mãos grandes e eloqüentes, mas em nada brutas. Seus gestos eram sutis, ritmados. Callie parecia en­cantada por sua presença, e seu rostinho angelical também estava iluminado por um sorriso feliz. Seus olhinhos muito azuis brilha­vam, conforme se concentrava no discurso silencioso que via.
Por alguns segundos, Dana ficou ali, parada, admirando a cena, mas logo a realidade voltou a tocá-la. Caminhou, então, até eles e, tomando a filha pelos ombros, fez com que se voltasse para vê-la.
— Callie Rene Landry! — chamou, os lábios pronunciando os nomes com delicada impressão, para que a menina com­preendesse que estava sendo repreendida. Seu rosto também falava com uma interpretação bastante eficaz. — Não devia ter entrado aqui sozinha!
O caubói levantou-se, mostrando-se muito mais alto do que ela.
— Ei, ela está bem!



2. Marcas da Paixão


Ele era seu chefe durante o dia e amante durante a noite... No instante em que conheceu Rick Jansen, aquele médico moreno e misterioso, Miranda Brooks decidiu entregar-lhe sua virgindade.

À noite de paixão descontrolada que tiveram foi o suficiente para deixá-la perdidamente apaixonada.
Mas, apesar do grande desejo que os aproximava, ela corria o risco de nunca mais voltar a vê-lo...
Rick era o chefe da enfermeira Miranda, portanto faria tudo para resistir à tentação, por mais que desejasse reviver a apaixonada noite de amor. Além do mais, ele era um homem ambicioso e não se interessava pelo amor. Só não conseguia entender por que seus braços doíam de vontade de abraçar Miranda... para sempre.

Capítulo Um

O som suave de um saxofone chegou até Mi­randa Brooks como uma carícia. Apesar de a tarde estar caindo rapidamente, o céu ainda estava azul.  Um aroma doce de grama fresca recém-aparada, pairava no ar mor­no da noite que caía e mexia com seus sentidos, enchendo-a de inexplicável expectativa.
Ela afundou ainda mais na longa cadeira acolchoada ao lado da piscina, cerrou os olhos e deixou que a música emba­lasse uma fantasia erótica.
Naquele lugar, era fácil imaginar um amante perfeito. — Vamos parar com este barulho! — alguém gritou de um apartamento no alto.
A música parou subitamente.
Espantada, Miranda abriu os olhos e ergueu-se sobre os cotovelos.  Olhou em torno da piscina, mas tudo estava tão vazio quanto antes.
Fora aquela solidão que a atraíra para ali.
Descobria agora que não estivera sozinha e que a música não vinha de um alto-falante como pensara. Alguém de carne e osso estivera tocando. Mais uma vez, examinou a área além da piscina, procurando sinais do músico misterioso.
Então, Miranda o viu.  Poucos passos à frente, diante da porta aberta de um dos apartamentos, havia uma silhueta masculina.  Era como uma sombra, mas mesmo assim, parecia estar olhando para ela.
O homem se movimentou sob a luz da lâmpada, com o saxofone na mão, e o coração de Miranda deu algumas batidas em falso.
Ele era bem alto, com uma presença marcante. Porém, era impossível visualizar suas feições.
Achando que não conseguiria vê-lo melhor, ela voltou a afundar na cadeira.
Talvez estivesse na hora de entrar em casa. Mas...

DOWNLOAD










Series For Keeps
1. Coração Invencível
2. Marcas da Paixão
Série Concluída

terça-feira, 22 de março de 2011

Receita para o Amor

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
 Série 
Irmãos O`Brein  



Um noivado terrível rompido...seguido de um romance maravilhoso e apimentado.


Eis uma ótima receita para fazer a pele de qualquer mulher brilhar.
E a famosa chef Corri Harris acrescentou um ingrediente muito especial:Aidan O'Brien, executivo sexy, sedutor e... dono do estúdio de televisão em que ela grava seu programa de culinária!
A atração entre os dois é fatal, e Aidan incentiva a sensualidade de Corri a cada instante.
Mas ela sente que ele poderia se entregar mais também...
Afinal, ainda que os momentos vividos com Aidan sejam deliciosos como o pecado, Corri logo se vê desejando muito mais.
E, como chef de cuisine, ela pretende acrescentar um certo temperinho que falta nessa relação...

Capítulo Um

Que maneira covarde de dizer adeus...
Sem acreditar, Corinna Harris olhava a carta que punha um fim em seu noivado sobre a penteadeira de mármore rosa do camarim, uma pequena missiva entregue a ela alguns minutos antes.
Ela não se surpreendia com o fato de seu ex-noivo escolher aquela maneira para terminar tudo.
Afinal, Kevin O'Brien era um jornalista, versado na palavra escrita, embora essa correspondência em particular fosse simples e direta.
Obrigado por tudo, corri, mas chegou a hora de terminar.Sinta-se à vontade para ficar com o anel.
Foi divertido.Divertido? Depois de oito meses de um noivado vazio, esperava que ele tivesse a delicadeza de lhe dizer pessoalmente que estava tudo acabado.
Não que ela estivesse surpresa. Não que ela estivesse com raiva...
Corri arrancou do dedo o anel, que ostentava um diamante de um quilate, e o lançou como um míssil pelo camarim, onde se chocou contra a parede e caiu em algum lugar no felpudo carpete azul.
Se acontecesse de ele ficar entalado no aspirador de pó do pessoal da limpeza, que pena!
Não queria nenhuma lembrança de um relacionamento que fora basicamente uma mentira.
A batida na porta assustoum corri e a trouxe de volta à realidade.
Tinha algo a fazer: trabalho.
— Cinco minutos — disse alguém da equipe.
— Certo. Estou pronta.
Estava realmente pronta? Poderia enfrentar uma platéia e fingir que nada acontecera? E justamente naquele dia, durante sua primeira apresentação ao vivo, em um programa sobre a preparação do prato perfeito para os apaixonados nas festas de fim de ano. Seis dias antes do Natal.
Claro que ela poderia fazê-lo.
Kevin poderia ter arruinado a vida dela temporariamente, mas ela se recusava a deixar aquela falta de consideração arruinar-lhe a carreira.


Série Irmãos O'Brien
1-Horizonte do Coração
2-Receita para o amor
3 e 4 - Não tem ebook
5-Seu melhor erro




segunda-feira, 21 de março de 2011

Série Irmãos O'Brien

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
1- HORIZONTE DO CORAÇÃO



O maior desejo de Mallory O'Brien era ser mãe, e Whit Manning era o homem certo para a realização de seu sonho.

Dono de um charme arrasador, ela não tinha dúvidas de que seduzi-lo seria um prazer... para ambos.
Mas Mallory não consegue resistir à química que sempre existiu entre os dois.
E se entregar de corpo e alma a Whit teria um preço que Mallory não estava disposta a pagar.
Afinal, quando finalmente ficasse grávida e o caso terminasse, como conseguiria viver sem ele?

Capítulo Um

—Vamos ter um filho, Whit?
Qualquer homem ficaria chocado e de cabelo em pé ao ouvir um pedido desses de repente, mas Whitfield Manning IV não era um homem qualquer. Devido a seu status e à sua fortuna, acabou se acostumando a propostas de muitas e diferentes mulheres, apesar de ser a primeira vez que lhe faziam essa proposta em particular. A maioria delas estava interessada nos benefícios da consumação, mas sem pensar nas conseqüências.
Mas Mallory O’Brien — advogada, irmã de seu melhor amigo e que dividia apartamento com ele fazia quatro meses — não era como a maioria das mulheres.
Ela não se jogou sobre ele, não se importava com sua con­ta bancária. Ela, de fato, gostava de estar com ele todos os dias. Obviamente, este era apenas outro de seus estratagemas para atrair sua atenção.
Whit continuou a passar os olhos na página de esportes e murmurou:
— Comer milho seria uma boa idéia, O’Brien. Vou querer o meu com manteiga, por favor.
— Não falei milho. Eu falei filho. F-i-l-h-o.
Felizmente, Whit sabia fazer mais de uma coisa ao mes­mo tempo. Era capaz de ler as últimas notícias sobre beisebol e brincar com ela.
— Claro, só que minha agenda está bem lotada no mo­mento. — Olhou para o teto e fingiu que estava pensando. — Provavelmente, posso fazer um filho com você na hora do almoço de terça. Quem sabe na mesa de conferências, logo após conseguir a aprovação da sede da Barclay? Vou pedir para minha secretária reservar o horário.
Apesar das imprudentes imagens que rodavam por sua mente, Whit voltou a se interessar pelo jornal. Mas, antes mesmo que ele terminasse de dar uma olhada nas posições da Liga do Oeste, Mallory arrancou-lhe o jornal das mãos, amassou-o e jogou-o longe.
— Whit Manning, pare de ler e me escute por um minuto!
Ele levantou os olhos e se deparou com ela observando-o de perto: uma mulher curvilínea, em seu l,77m de tolice, cabelos castanho-escuros e olhos verdes translúcidos que o encaravam fixamente. A calça do pijama branco e vermelho, salpicado de corações, estava frouxa, deixando Whit entre­ver seu umbigo, já que a parte de cima do pijama não che­gava à cintura.
Ele devia ter pensado duas vezes antes de dar aquele pi­jama de presente no aniversário dela. Devia, realmente, ter pensado duas vezes antes de entrar no quarto dela sem bater na porta no mês anterior. Mas como ele iria saber que ela gostava de sentar na cama e passar creme no corpo, total­mente nua?Grande erro, especialmente para um homem que não se envolvia com mulher nenhuma fazia meses.

DOWNLOAD








Série Irmãos O'Brien
1- Horizonte do Coração
2- Receita para o amor
3 e 4 - Não tem ebook
5- Seu Melhor Erro

domingo, 20 de março de 2011

Série Irmãos O'Brien

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
5- SEU MELHOR ERRO


Descobrir que era estéril arruinou a vida do repórter Kevin O'Brien.

A noticia era suficientemente ruim, mas qual seria o impacto em sua relação com a dra. Leah Cordero?
Era melhor terminar antes de começar a desejar o que jamais conseguiria ter.
Para sua surpresa, meses depois, Leah apareceu com uma criança. Sua filha!
Após o choque, ele insiste em fazer parte da vida do bebê, e a melhor forma seria levando ambas para sua casa.
Kevin logo se apaixona pela menina e se lembra de tudo que o levou a se apaixonar por Leah, mas ainda precisa provar que esta família pode ser feliz para sempre.

Capítulo Um

Seção de Esportes de O 'Brien Edição de Junho
Durante os últimos meses eu aprendi uma importante lição: encarar a morte, definitivamente, mudará sua vida.
Ele imediatamente selecionou o texto e apertou o botão "deletar" com raiva.
Não era seu dever personalizar uma coluna sindicalizada, cujo pú­blico alvo era focado em esportes radicais, competições e manchetes co­merciais.
Mas o fato de que tinha até mesmo considerado revelar sua batalha de vida e morte para o público em geral indicava exatamente o quanto sua vida mudara.
O quanto ele mudara.
Durante sua luta contra a doença que quase o matara Kevin havia se tornado muito mais introspectivo, mais centrado.
Deus, até mesmo com­prara uma casa num bom bairro de Houston!
Um ano atrás, jamais previra trocar viagens de avião através do país por um escritório em casa.
Se não tivesse ficado doente, não teria passado tanto tempo avaliando seus erros, também, e cometera muitos.
Um em particular continuava a assombrá-lo diariamente, mas não podia pensar sobre aquela decisão agora.
Não se quisesse cumprir sua agenda da segunda-feira.
Quando a campainha da porta tocou, Kevin recostou-se na cadeira e sus­pirou. Muito provavelmente era sua mãe, que passara por ali sem avisar, para perguntar por que ele não comparecera ao tradicional almoço de domin­go dos O'Brien, quando na realidade tinha ido se certificar se ele não sofrerá uma recaída.
Por mais que ele apreciasse a preocupação de sua mãe, tornara-se incrivelmente irritado com a obsessão dela pelo seu bem-estar.
Então, novamente, Lucine O'Brien tinha uma verdadeira obsessão no que dizia respeito a ele.A campainha soou novamente, e por um momento Kevin pensou em ignorar aquela intromissão.
Não era uma boa idéia. Seu carro estava estacionado na garagem aberta, o que poderia gerar pânico na sua mãe, assim como uma ligação desnecessária aos paramédicos. Inclinando-se para a direita, ele puxou a cortina da janela que dava para o gramado. Mas em vez de encontrar a minivan de sua mãe, estacionada junto à calçada, avistou outro carro. Um carro muito familiar.De modo algum poderia ser ela.
Antes de tudo, ela não sabia onde ele morava. Segundo, detestava-o, o que dissera textualmente na última vez que eles haviam se falado ao telefone, meses atrás.
Mas Kevin não conhe­cia nenhuma outra alma solitária que possuía um Volkswagen conversível cereja.

DOWNLOAD








Série Irmãos O'Brien
1- Horizontes do Coração
2- Receita para o amor

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Série Marrying an M.D.

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
2- RECEITA PARA PAIXÃO



Um homem chamado desejo!

Ao conhecer Michelle, o dr. Nick Kempner, divorciado e com uma filha pequena, teve certeza de que tinha encontrado a mulher ideal para dividir com ele os lençóis, o café da manhã,, o jantar... as vinte e quatro horas do dia!



Mas Michelle era independente demais, e a última coisa em que pensava era em compromisso.
Nick tinha certeza de possuir a receita certa: amor, paixão e... casamento.
Só precisava convencer Michelle de que ele era realmente o homem que poderia fazê-la vibrar de desejo!

Capítulo Um

O rosto modelado por anjos, um corpo capaz de provocar tumulto na rua.
Infelizmente para o médico ortopedista Nick Kempner, a belíssima Michelle Lewis o tinha em baixa estima, graças ao pequeno incidente ocorrido no casamento de sua irmã, meses antes.
Nick ainda não compreendia por que ela se ofendera ao ser chamada de princesa. Afinal, de fato lembrava um membro da melhor realeza, com seu estonteante vestido de dama de honra.
Considerando que Michelle o apelidara de "sapo em traje a rigor", ele é que devia ser a parte ofendida. Estava habituado, porém, aos xingamentos que por tanto tempo ouvira de sua ex-esposa.
Naquele dia, de volta ao papel de relações-públicas do Hospital Memorial de San Antônio, ela transitava na fronteira entre o pecado e a santidade.
Não se mostrou feliz por ver Nick entrar atrasado na sala de reuniões.
Com razão, ele admitiu.
Atrasara-se muito e perdera o almoço de confraternização do Conselho Deliberativo, do qual fazia parte.
Michelle concedeu-lhe um vago olhar quando Nick, calado, ocupou uma cadeira e a observou entre curioso e suplicante.
Concentrada na tela do computador portátil, ela reprimiu a vontade de dizer-lhe que fosse para o inferno.
Sentindo-se como um garoto travesso, Nick aguardou que as pessoas restantes na sala se retirassem.
— O que eu perdi? — ele perguntou, fingindo interesse.
— O almoço e a reunião inteira, só isso. Acabou há cinco minutos.
— Sinto muito. — O médico deu de ombros. — Minha cirurgia das nove horas se prolongou além do previsto.
Michelle guardou seu laptop na maleta. Só então, depois de fechar o zíper, deu maior atenção ao constrangido Nick.
— Levando em conta que esta é a segunda reunião que você perde em um mês, seria melhor pedir demissão do Conselho.
Ele recorreu ao seu sorriso mais sedutor.
— Talvez fosse bom marcar os encontros no próprio Centro de Ortopedia. Você poderia ir anunciando a pauta enquanto eu terminava de recolocar alguns ossos no lugar.
— Sugestão interessante. — Ela também sorriu, mas de maneira debochada. — Só que a maioria dos médicos do Conselho consegue comparecer, sem a adoção de medida tão drástica.
— Bem, srta. Lewis, gosto de me julgar diferente dos outros. Dou prioridade total aos pacientes, às crianças acidentadas. — Mas daria prioridade a Michelle, pensou maliciosamente, se ela permitisse. A qualquer momento, em qualquer lugar, mesmo ali na sala vazia.
Não poderia formular uma proposta desse tipo, Nick concluiu, ao notar que ela o fuzilava com seus intensos olhos azuis.

DOWNLOAD








Série Marrying an M.D
1) Dr. Dangerous
2) Dr. Desirable – Receita para a paixão
3) Dr. Destiny
4) Renegade millionaire

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Desafio ao Sheik

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
Serie Apostando Forte






Quanto mais apaixonados eram seus encontros, mais ele perdia a razão e mais desejava render-se a ela...

A bela Raina Kahlil estava contente até que seu ausente prometido, o sheik Dharr Halim, decidiu levar-lhe a seu reino para visitar sua família e não para casar-se;
Devia resistir à atração que seu prometido lhe inspirava, apesar de estar se guardando para ele.
Dharr tinha se preparado para, algum dia, casar-se com Raina apesar de não amá-la. Mas ela parecia empenhada em chegar até seu duro coração...

Capítulo Um

Não se parecia em nada com o que recordava.
Cobrindo os olhos para protegê-los do sol da tarde de abril, Dharr Halim compreendeu a extensão da transformação de Raina Khalil de moça a mulher enquanto a observava disfarçadamente do terraço de sua cabana californiana em frente à praia.
Haviam passado vários anos desde aquele tempo em que ela tinha uma aparência gordinha e usava o cabelo trançado. Naquele momento era diferente, ao menos do ponto de vista físico.
Enquanto caminhava pela beira da praia, Raina se movia com graça e fluidez como as ondas do oceano, com suas pernas longas e ágeis.
O cabelo castanho dourado caía como um manto sobre seus ombros até lhe cobrir as costas.
Mas não ocultava totalmente a pele dourada revelada por um biquíni que deixava pouco à imaginação.
Ela ainda não tinha detectado sua presença, o olhar centrado em uma conchinha que examinava enquanto caminhava em sua direção.
A distração deixava para Dharr mais tempo para avaliar a inesperada transformação.
Usava três aros de prata no lóbulo de cada orelha e um colar de miçangas de turquesa da cor de seu biquíni.
O traje limitado mostrava a elevação de seus seios plenos e o torso nu, onde Dharr percorreu um atalho por seu ventre até o umbigo que exibia uma meia lua chapeada. Mais a baixo, a curva de seus quadris e coxas potencializava a percepção das mudanças drásticas que tinham ocorrido a ela.
Mas a última vez que havia estado com sua prometida, ela ainda era uma adolescente que se encontrava em um combate corpo a corpo com um jovem que se atreveu a desafiá-la.





Serie Apostando Forte
1- De Playboy a Rei
2- A Promessa de Amor
3- Desafio ao Sheik
Série Concluída