Mostrando postagens com marcador Coração Impulsivo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Coração Impulsivo. Mostrar todas as postagens

sábado, 4 de dezembro de 2010

Coração Impulsivo

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
Grace Green





Nenhuma mulher resistia ao charme de Graham...

Nos braços de Graham, Caroline sentia-se totalmente subjugada. Os lábios quentes desse homem viril a acariciavam com desejo, e ela não conseguia livrar-se de tão doce e repentina sedução.

Caroline sabia que não era amada, que esse encontro fazia parte de uma sórdida vingança! Mas como fugir, como escapar desses braços tentadores?

Capítulo Um

A busca estava terminada. Ele sabia que estava tão perto que quase podia sentir o perfume barato que uma mulher como aquela usaria.
Direcionou o Mercedes através do Lakeshore Boulevard, diminuindo a velocidade ao aproximar-se do número quatrocentos.
Baixando o vidro do carro, a fim de enxergar melhor na escuridão que descia rapidamente, sentiu no rosto o vento cortante que vinha do lago congelado.
Deus, como estava cansado!
Com as costas da mão, esfregou a testa enrugada de tensão, enquanto dirigia devagar, olhando os números das casas.
Quatrocentos e trinta e quatro, quatrocentos e trinta e seis, trinta e oito...
Seu coração deu um salto no peito, ao deparar com aquele que procurava: quatrocentos e quarenta.
Uma única lâmpada acesa na rua iluminava a casa de madeira de dois andares, cujo telhado estava coberto de neve.
Por um instante, pensou em estacionar mais adiante, porém, dando de ombros abruptamente, parou junto ao meio-fio. O lugar estava às escuras e, mesmo se visse o carro, ela não faria idéia de quem seria.
Desligou os faróis e, colocando a mão no bolso da jaqueta de couro, retirou a carteira e abriu-a.
A foto protegida pela capa de plástico era apenas um instantâneo, mas bastante nítida.
A luz amarelada que vinha da rua lançava um brilho fraco sobre a foto e fazia com que os cabelos dela parecessem mais claros do que eram, além de proporcionar uma luminosidade fugidia à figura sentada no carro.
"Para Patrick, com amor, Caroline", dizia a dedicatória.
Ele esboçou um sorriso de desprezo, enquanto passava a ponta do dedo sobre a curva suave dos seios dela, que a foto revelava.Caroline. "A outra."