sábado, 1 de abril de 2017

Tentação Proibida

ROMANCE CONTEMPORÂNEO




Uma paixão impossível!

Após a morte da esposa, Jack Connolly se transformou em um homem sombrio. 
Ele não tinha intenção de se envolver com outra mulher… até a estonteante e recatada Grace Spencer virar seu mundo de cabeça para baixo. 
Presa em um relacionamento de fachada, Grace sabe que, ao se render a essa paixão, colocará em risco tudo o que ela mais ama. Ainda que por trás do intenso desejo que sentem exista a promessa de um futuro feliz, seria suficiente para convencê-la a se entregar a essa atração proibida?

Capítulo Um

Quando Jack entrou em casa, o telefone tocava.
Como sabia quem deveria ser, pensou em não atender. Fazia três dias que a cunhada havia telefonado. Debra não costumava esquecê-lo por muito tempo. Mas ela era — havia sido — irmã de Lisa, e se preocupava com ele. Não que fosse preciso, ele pensou resignado, porque estava se saindo bem sozinho.
Jack colocou a sacola com o pão ainda quentinho em cima do balcão e atendeu o telefone da cozinha.
— Connolly. — Estava torcendo para que fosse engano, mas ouviu a voz de Debra Carrick.
— Por que você insiste em não atender o celular? — falou ela, irritada. — Ontem, liguei uma vez e, hoje, duas. Mas você não atendeu.
— Bom dia para você também — retrucou Jack secamente. — E por que devo levar o celular para onde for? Duvido que você tenha algo urgente a me dizer.
— Como você sabe? — Debra se mostrou ofendida, e Jack conteve um gemido. — E se você tivesse sofrido um acidente? E se tivesse caído do seu maldito barco? Nesse caso, você iria querer ter algum meio de comunicação.
— Se eu caísse do barco, o celular não iria funcionar — falou ele em tom conciliatório, mas a ouviu bufar.
— Você sempre tem resposta para tudo, não é, Jack? Quando volta para casa? Sua mãe está preocupada com você.
Jack admitiu que deveria ser verdade, mas seus pais e seus irmãos não lhe fariam aquele tipo de pergunta. Sabiam que ele precisava se afastar da família, e a casa que havia encontrado na costa nortumbriana era exatamente o lugar onde queria estar.
— A minha casa é aqui — disse ele, lançando um olhar orgulhoso para a enorme cozinha rústica.
Quando a comprou, a casa estava em estado precário. Mas, depois de alguns meses de obras, a maior parte feita por ele mesmo, a reforma ficara pronta.
Lindisfarne House havia se tornado um lar confortável e acolhedor. O refúgio ideal que o ajudaria a resolver o que fazer com o resto da sua vida.
— Você deve estar brincando! Jack, você é um arquiteto bem-sucedido. Só porque herdou algum dinheiro, não quer dizer que vai ficar vagando sem rumo por algum canto esquecido da Inglaterra!
— Rothburn não é um canto esquecido da Inglaterra — protestou Jack amavelmente. — Não é mais remoto que Kilpheny... — Ele suspirou. — Eu precisava sair da Irlanda, Debra. Pensei que você fosse compreender...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oiiiiii...Não vai sair sem deixar um comentário vai?
Aqui é seu canal compartilhando a leitura...Conte para nós o que achou do último livro que leu ou lendo, livros que está afins de ler, comente o que desejar sobre o blog, os livros, só não vale detonar revisões e sim agradeçam as revisoras que fazem com carinho a leitura chegar à vocês!
bjs, Jenna e Carla