quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Um Homem Casado

ROMANCE CONTEMPORÂNEO 

Os convidados riam, felizes, na festa de casamento. 

Apenas Elisa estava triste, com o coração apertado, sozinha num canto da casa, lutando para não chorar. E foi então que ele apareceu... Bastou um olhar para saber que aquele era o homem de sua vida, o homem que poderia levá-la às delícias do amor, ou deixá-la cair no poço do mais profundo desespero. 

Ele se aproximou, sorriu e tomou-a nos braços. Os beijos, as carícias, as promessas enlouqueceriam qualquer mulher! 
Mas Elisa não podia se entregar a essa doida paixão. Não podia, porque Matthew, o amor de sua vida, era casado! 


Capítulo Um 

O jardim da pequena igreja estava repleto de parentes e amigos. Todos queriam cumprimentar os noivos. Atrás dos convidados, Elisa se abrigava da garoa sob uma marquise. Naquela manhã, justamente a do dia do casamento de Susan e Frank, uma forte chuva caíra sobre a cidadezinha de Sedgeley, em North Yorkshire. 
Mas o casal estava tão feliz que nem se importava com o mau tempo. Elisa deu um suspiro. A recepção na capela já estava no fim; logo mais os noivos iriam para a casa da mãe de Susan, trocar suas roupas, e então partiriam para a lua-de-mel em Maiorca. Sentiria falta da amiga. Afinal, após tanto tempo trabalhando no mesmo hospital e morando juntas naquele pequeno apartamento, era de se esperar que acabassem convivendo como verdadeiras irmãs. Os saltos de seus sapatos afundavam na lama e ela começou a ficar impaciente, pois isso iria estragar a barra do seu vestido. 
Irritada, Elisa segurou as largas abas do chapéu que usava e olhou para o céu, com uma expressão de desapontamento. Foi então que percebeu um homem, parado na entrada da capela, que a observava atentamente. Sabia de quem se tratava, pois já havia sido apresentada a ele antes da cerimónia. Era Matthew Lawford, um dos irmãos de Susan. 
Tinha vindo de Londres, acompanhado pela esposa, especialmente para o casamento. Elisa conhecia um pouco da vida dele, pois Susan se orgulhava de o irmão ter estudado em Oxford e sempre fazia comentários à sua bem-sucedida carreira. 
Matthew havia deixado a família em Sedgeley e brilhava como um excelente economista nos meios financeiros da capital. Era um homem cheio de charme e muito atraente. Tinha cabelos escuros e seus olhos castanhos eram vivos e expressivos. Aparentava uns trinta e poucos anos; era bastante alto e sua pele morena lhe dava um aspecto sadio e jovial. Seus gestos eram viris e sua postura demonstrava segurança e seriedade. Além disso, ele caminhava com a elegância de um felino. 
Foi então que Elisa se lembrou de Barry, o rapaz que costumava cortejá-la antes que ela viesse trabalhar como enfermeira no Hospital de Sedgeley. Conhecera-o quando ainda morava em Londres, na casa da mãe. Se não tivesse se mudado para North Yorkshire, talvez hoje estivesse casada com ele. Barry era um ótimo sujeito, mas em nada se parecia com Matthew Lawford, pois, sem dúvida, o irmão de Susan era um homem capaz de virar a cabeça de qualquer mulher. 
Elisa também sentia-se atraída pelo magnetismo que ele irradiava; mas a presença de Celine, sua esposa, fez com que ela afastasse esses pensamentos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oiiiiii...Não vai sair sem deixar um comentário vai?
Aqui é seu canal compartilhando a leitura...Conte para nós o que achou do último livro que leu ou lendo, livros que está afins de ler, comente o que desejar sobre o blog, os livros, só não vale detonar revisões e sim agradeçam as revisoras que fazem com carinho a leitura chegar à vocês!
bjs,
Jenna