segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Segredos em Alto Mar

ROMANCE CONTEMPORÂNEO





Amor e suspense num luxuoso cruzeiro pela costa do México!

Um homem pronto para o perigo e indefeso ante o jogo do amor!


Susan desejava provar que não era apenas uma linda garota milionária.
Assim, ela não hesitou ao aceitar o emprego num transatlântico de luxo.
E logo sua atenção foi despertada por um passageiro bonito, tímido, dono de profundos olhos azuis.
Ele era carinhoso, mas parecia estar sempre controlando as emoções.
Na realidade, guardava um segredo que o impedia de declarar seu amor a Susan.

Capítulo Um
Conforme Susan Williams se esquivava de um grupo agitado e exuberante de passageiros, repetia baixinho:
— Com licença... Desculpe-me, posso passar, por favor?
Não poderia estar novamente atrasada. Depois dos problemas que tivera nas últimas viagens, a direção estava um tanto rígida. Mesmo que, supostamente, o problema já estivesse resolvido...
Pareceu uma eternidade, até que conseguisse passar pela multidão.
Chegou afinal ao corredor que levava ao salão de conferências, com os longos cabelos loiros balançando na altura dos ombros e a franja agitando-se sobre a testa.
Observando-a passar, o investigador particular Thatch, que também estava naquele cruzeiro, não pôde deixar de notar o quanto Susan era bonita.
Olhando-a fixamente, admirou os cabelos sedosos sobre a camisa branca, a cintura fina e a curva dos quadris, delineados por uma saia justa amarela.
Mais abaixo, as pernas longas e bem-feitas eram acentuadas pelos sapatos de salto alto que ela usava.
Olhando-a pelas costas, Thatch imaginou como seria o rosto daquela mulher tão atraente. Em seguida pensou que, se houvesse outras garotas como aquela no navio, a viagem até que não seria tão ruim.
Assim, resolveu tentar alcançá-la.
— Sim? — ela perguntou, um tanto impaciente, constatando a mão forte que lhe tocava a pele queimada de sol.
O sorriso nos lábios daquele homem pareceu apagar-se, enquanto ele retirava a mão. Susan logo imaginou se a atitude brusca que tivera teria irritado o desconhecido.
Concentrando-se naqueles frios olhos azuis que a examinavam, reparou o quanto o homem lhe parecia atraente.
Com aproximadamente trinta anos, era alto e tinha um físico bem desenvolvido.
Os cabelos escuros davam-lhe um ar de austeridade e firmeza.
Desde que começara a trabalhar em navios como agente de recreação,
Susan acostumara-se a observar o comportamento das pessoas.
De fato, aquele homem parecia ser do tipo que se irritava facilmente, que estava sempre na defensiva.
No entanto, seu dever era fazer com que os passageiros esquecessem os problemas durante um cruzeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oiiiiii...Não vai sair sem deixar um comentário vai?
Aqui é seu canal compartilhando a leitura...Conte para nós o que achou do último livro que leu ou lendo, livros que está afins de ler, comente o que desejar sobre o blog, os livros, só não vale detonar revisões e sim agradeçam as revisoras que fazem com carinho a leitura chegar à vocês!
bjs, Jenna e Carla